As 100 melhores ONGs do Brasil

“Nossa ideia é que essa lista funcione como um farol para a sociedade, que mostre que vale a pena colocar dinheiro nessas ONGs, porque elas saberão investi-lo em grandes causas”, afirma Fernando Nogueira, presidente do Conselho do Instituto Doar e professor de administração da Fundação Getulio Vargas (FGV). O incentivo à cultura de doação passa, sobretudo, pelo reconhecimento de boas práticas de gestão. Assim como no setor privado, algumas ONGs começam a estabelecer metas, aprender a fazer planejamento estratégico e a se comunicar. Como resultado, algumas reduzem a dependência no poder público e diversificam as fontes de receitas – medida fundamental para manter suas causas perenes.

 

Publicado no site da Revista Época em 11/08/2017

Veja a matéria completa

Guia das Melhores ONGs do Brasil

 

ÉPOCA em parceria com o Instituto Doar lançaram no dia 29 de novembro de 2016 o guia de melhores ONGs, das quais listará as 100 instituições sem fins lucrativos com melhores atuações visando a transparência e consistência de suas gestões. Desde a abertura das inscrições, mais de 1.000 ONGs de 21 estados do Brasil se inscreveram pelo site www.melhores.org.br. A representatividade de todos os cantos do país também é valorizada pela pesquisa. O prazo para inscrição é até o dia 28 de fevereiro de 2017.

O guia surgiu com o objetivo de auxiliar as pessoas que têm a intenção de fazer doações para alguma causa ou organização. A partir dessa lista, elas podem ter uma referência de qualidade e transparência dessas instituições e assim optar por uma de sua preferência. Além disso, o guia tem a função de “auxiliar em uma espécie de selo de qualidade. É importante reconhecer o trabalho dessas organizações”, diz Marcelo Estraviz, presidente do Instituto Doar.

A lista com as melhores ONGs do Brasil pode contribuir para a ampliação das doações no Brasil. Segundo o presidente do Instituto Doar, espera-se que com essa relação mais pessoas queiram participar. “Passar a valorizar um segmento que existe há muito tempo, mas que ao mesmo tempo é pouco discutido pelas pessoas cotidianamente”, diz Estraviz.
O campo de atuação das ONGs é amplo e pode variar desde organizações voltadas para assistência social, criança e adolescente, cultura, desenvolvimento local, direitos dos animais, direitos humanos, educação, esporte, meio ambiente e saúde. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas por qualquer instituição sem fins lucrativos do país.

Publicado no site da Revista Época em 07/02/2017

Veja a matéria completa