Apresentação

Localizado na avenida Mauro Ramos, número 901, Centro de Florianópolis, o Asilo Irmão Joaquim é uma entidade sem fins lucrativos centenária de amparo à velhice. Abriga atualmente 22 homens e 14 mulheres com idades variando entre 60 e 98 anos. Além do abrigo, são fornecidas seis refeições diárias, atendimento médico, fisioterapia e atividades de lazer.

Os serviços prestados pelo Asilo Irmão Joaquim são executados por 30 funcionários fixos com o apoio de voluntários que doam uma parcela de seu tempo atendendo os idosos de várias maneiras. Visite a página COLABORADORES para saber mais.

Habilitação

A entidade possui toda documentação  necessárias pra seu funcionamento. Ao longo dos anos foi agraciada com diversos títulos e honrarias pelos serviços prestados à comunidade florianopolitana.

Na página DOCUMENTAÇÃO encontram-se as cópias das certidões legais exigidas.

Recursos

As despesas do asilo, são bancadas basicamente por rendas próprias, doações, convênios e uma pequena participação dos abrigados com condições de pagamento. O alto volume de recursos necessários para manutenção dos serviços exige uma constante busca por fontes alternativas de financiamento.

Veja nas páginas COMO AJUDAR ? como pode ser sua participação.


História

A Associação Irmão Joaquim é uma instituição centenária constituída para cuidar dos pedintes que circulavam em Florianópolis e moravam sob pontes ou no interior de casas em ruínas. A entidade tratou logo no início de promover a construção do “Asylo de Mendicidade Irmão Joaquim”, na então rua José Veiga, atual avenida Mauro Ramos. Inaugurado em duas etapas, em 1910 e 1911, a construção fazia parte de um processo de modernização e higienização que a cidade viveu nas duas primeiras décadas do século 20, época em que a água potável foi encanada e foram construídas as redes de esgoto e de energia elétrica.

Durante esse período a população ganhava também a comodidade do transporte coletivo, com bondinhos sobre trilhos puxados por burro. Havia duas linhas: Uma delas passava justamente em frente ao asilo e fazia o percurso Agronômica, avenida Mauro Ramos, rua General Bittencourt e rua Fernando Machado; A segunda linha compreendia o trajeto da rua Trompowski, região do morro do Céu (Beiramar Shopping) e Bocaiúva. A área onde estava sendo construído o asilo já era uma região nobre da cidade.

A associação foi criada por católicos da Catedral Metropolitana e por maçons. A pobreza extrema era observada principalmente em mulatos, mas existiam também brancos em situação de miséria. Segundo o professor Nereu do Vale Pereira, autor de títulos relacionados à história da cidade, a imprensa da época era caudalosa no registro de “maltrapilhos, famintos, ulcerados e aleijões”, que habitavam o submundo da cidade. A cena era observada principalmente no jornal “O Estado”, que “narrava episódios dantescos de gente jogada em porões e sob pontes”, acrescenta Nereu. Uma das pontes ficava sobre o rio da Bulha, atualmente denominado canal da avenida Hercílio Luz.

Entre 1902 e 1910, antes do término da construção do asilo, o informativo “A Fé – Orgam da Associação Irmão Joaquim – Protectora dos Necessitados”, cadastrava pobres e lhes fornecia semanalmente dinheiro, pão e carne na sede da entidade, localizada na rua João Pinto. A primeira etapa do asilo, inaugurada em 1910, tinha capacidade para 20 internos, e abrigava somente homens. A conclusão da ala esquerda do prédio, em 1911, abrigava 20 mulheres.

(Fonte: Associação Irmão Joaquim – 100 anos de amor ao próximo – Prof. Nereu do Vale Pereira )


Irmão Joaquim

Joaquim Francisco do Livramento, conhecido por Irmão Joaquim nasceu na Vila de Nossa Senhora do Desterro numa Sexta-Feira Santa aos 20 dias do mês de março do ano de 1761. Seu pai era o Senhor Francisco da Costa, homem proeminente vindo de Açores, sua mãe era D. Mariana Jacinta da Vitória, também açoriana.

Joaquim Francisco do Livramento era homem piedoso desde sua infância, altruísta e místico. Não se via digno para abraçar o sacerdócio, decidiu então dedicar-se aos pobres esmolando para estes. Vestia-se com o bruel franciscano, pois pertencia a Ordem Terceira.

 

 

irmaojoaquim

Sua vida foi inteiramente dedicada à caridade, suas principais ações foram:

1. Construção  do  Hospital no Desterro, hoje Imperial Hospital de Caridade;
2. Construção da Santa Casa de Misericórdia em Porto Alegre ;
3. Casa para Meninos Desvalidos na cidade de Salvador;
4. Casa para Meninos Desvalidos em Jacuecanga, no Rio de Janeiro;
5. Casa de Meninos Desvalidos em Itu;
6. Casa dos Meninos Desvalidos de São Paulo.

Além dessas casas, ajudou a fundar hospitais, com as esmolas que mendigava de porta em porta, obras que ainda resistem ao tempo. Ele também trabalhou para a Congregação do Desagravo do Santíssimo sacramento no Brasil.

Sua vida foi uma prova de doação ao próximo, por suas ações de mendicância algumas vezes foi preso. Seguindo seus ideais de caridade, viajou até Roma e a Portugal. Faleceu em Marselha no ano de 1828 após anos de dedicação aos pobres e humildes.

(Fonte: Prof. Dr. Irineu Marinho – Blog Aulas de História)